Fale connosco
English

Estações agrometeorológicas operadas pelo INEGI ajudam agricultores a tomar decisões

21 março 2024

O clima é um fator determinante na agricultura e, por isso, a monitorização meteorológica assume especial relevo para o planeamento das atividades agrícolas. O INEGI aposta na agrometeorologia há mais de uma década e monitoriza as variações climatéricas registadas em estações agrometeorológicas, de forma a auxiliar os agricultores a planear as suas colheitas e a determinar, por exemplo, qual o melhor momento para a aplicação de fitofármacos ou adjuvantes agrícolas.

Os dados recolhidos nas estações agrometeorológicas permitem uma caracterização do clima em tempo real e, a longo prazo, possibilitam uma análise detalhada das condições meteorológicas dominantes numa determinada região de cultivo e uma observação dos indicadores relevantes para cada tipo de plantação.

"A altitude, a exposição solar, o relevo, o estado da atmosfera e a precipitação são alguns dos fatores que influenciam a produção. Se alguns são imutáveis, como o relevo, outros variam de dia para dia ou de ano para ano. As alterações climáticas também vieram alterar o ciclo anual habitual e impõem um maior acompanhamento das grandezas meteorológicas, especialmente aos produtores que dependem da exposição ao clima”, explica Silvina Guimarães, responsável por esta tecnologia no INEGI.

Com uma experiência na operação de estações meteorológicas para a área de energias renováveis desde 1991, o Instituto começou a operar no setor agrícola em 2013, assegurando uma correta medição e validação de dados relevantes para a tomada de decisões de operações agrícolas. 

Setor vitícola também conta com o INEGI

A Sogrape Vinhos é parceira do INEGI há mais de dez anos. O Instituto assegura a manutenção do bom estado de funcionamento de todos os sensores na rede meteorológica da empresa, a sua calibração para garantir a precisão das medidas registadas, a análise permanente dos valores e o tratamento dos dados. 

"Estes dados permitem à Sogrape Vinhos fazer um melhor planeamento de operações específicas, como o planeamento da vindima ou a gestão das necessidades em água, bem como gerir este recurso ao longo do ano”, acrescenta Silvina Guimarães.

A operação de estações agrometeorológicas pelo INEGI não serve apenas a viticultura, mas também outros ramos da produção agrícola. "Personalizamos a medição aos processos que o cliente procura acompanhar. Todo o processo é importante: da escolha dos sensores à instrumentação na estação, passando pela calibração e verificação, até ao acompanhamento regular da validade dos dados. Até porque boas decisões requerem dados de qualidade”, reforça Silvina Guimarães.


Páginas relacionadas

Notícia | À conversa com António Graça: "Portugal é o país do mundo mais especializado na ciência do vinho"

Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.   Saiba mais

Compreendi