Fale connosco
English

Investigador Doutorado em Engenharia Mecânica M/F - CT RH Perfil G 27/2020

Enviar Candidatura até 23-11-2020 Candidate-se

O INEGI - Instituto de Ciência e Inovação em Engenharia Mecânica e Engenharia Industrial abre concurso para a contratação de um Investigador Doutorado no âmbito da operação NORTE-06-3559-FSE-000107, com o título Contratação de Recursos Humanos Altamente Qualificados (PME ou CoLAB) apoiada pelo Norte 2020 através do Fundo Social Europeu, ao abrigo do Decreto-Lei n.º 57/2016, de 29 de agosto, e com as alterações introduzidas pela lei 57/2017, de 19 de julho e Decreto Regulamentar nº 11-A/2017, de 29 de dezembro e do Código do trabalho, aprovado Lei n.º 7/2009, de 12 de fevereiro em vigor

Refª do concurso: CT RH Perfil G 27/2020

Produção Sustentável e Economia Circular - Fabrico e Caraterização Avançada - Perfil G

Tecnologias avançadas de fabrico.

1. Função:

Técnicas não-destrutivas para Inspeção Avançada (foco no caraterização/teste de componentes).

O novo contratado deverá dominar um conjunto apreciável de técnicas de eletrónica, fotónica e de processamento de imagem, incluindo proficiência em programação (necessária para a automatização de toda a instrumentação envolvida). Com esta contratação pretende-se reforçar as capacidades e a oferta tecnológica do INEGI nas áreas da caracterização mecânica, inspeção e monitorização do desempenho de materiais e estruturas, com foco no desenvolvimento de soluções customizadas para dar resposta à necessidade de monitorizar em contínuo a condição estrutural de produtos e sistemas, e dotando-os da capacidade de comunicarem essa condição, no contexto da Indústria 4.0.

2. Tipo de contrato e duração:

Contrato sem termo e que deverá ter início em dezembro de 2020. A contratação será efetuada ao abrigo do Decreto-Lei nº 57/2016, de 29 de agosto, que aprova o Regime Jurídico do Emprego Científico, adiante designado abreviadamente por RJEC, na redação que lhe foi dada pela Lei nº 57/2017, de 19 de julho, pelo Decreto-Regulamentar nº 11-A/2017, de 29 de dezembro, pelo Código do Trabalho e demais legislações aplicáveis a contratos individuais de trabalho, bem como pelas normas internas do INEGI.

3. Local de Trabalho: INEGI, Porto – Portugal.

4. Composição do júri (de acordo com o artigo nº 13 do RJEC):

Presidente: Doutor Pedro Moreira (INEGI) Vogais: Doutor Paulo Tavares (INEGI), Doutora Carmen Sguazzo. Suplente: Doutora Marta Oliveira (INEGI).

5. Requisitos de Admissão:

Os candidatos podem ser doutorados de origem nacional, estrangeira ou apátridas, aplicando-se os seguintes critérios de preferência:

- Doutoramento em Engenharia Mecânica.

- Experiencia na coordenação de equipas

- Conhecimentos de eletrónica, em particular na construção de circuitos

- Conhecimentos de programação, em particular processamento de imagem

- Desenvolvimento de sistemas de medição da condição estrutural

- Fluência escrita e oral na língua Inglesa.

A não conformidade com estes requisitos determinará a rejeição imediata da candidatura.

6. Critérios de avaliação:

Pretende-se avaliar o currículo científico e profissional dos(as) candidatos(as), em especial a experiência em investigação e desenvolvimento. Serão tidos em consideração os seguintes critérios:

A). Apreciação curricular integrado:

o    AI. Relevância do CV na área da função em vista (ver ponto 1) – 40%;

o    AII. Quantidade e qualidade da produção científica - 5%;

o    AIII. Participação em projetos de investigação e desenvolvimento - 45%.

o    AIV. Coordenação de equipas – 20%

Cada membro do júri, valoriza cada candidato numa escala 0 a 100 para cada critério. A fórmula seguinte será aplicada no cálculo da pontuação final:

A=0.40AI+0.05AII+0.45AIII+0.20AIV

B). Entrevista

No caso em que haja vários candidatos com pontuação dentro de 10% da pontuação atribuída para o/a melhor candidato(a), será realizada uma entrevista. O objetivo será obter esclarecimentos sobre os elementos curriculares e informações adicionais, bem como avaliar o perfil de atitudes, habilidades de comunicação e motivação do candidato. Cada membro do júri valoriza o resultado das entrevistas numa escala 0 a 100.

A pontuação final será calculada pela fórmula seguinte:

Sc=0.90A+0.10B

A classificação final de cada candidato é obtida através da média aritmética das classificações atribuídas pelos membros do júri. A classificação final será efetuada com base numa escala de 0 to 100. Em caso de empate, o presidente do júri terá o voto de qualidade.

7. Documentos de candidatura:

i)             Carta de motivação, demonstrando a sua adequação ao perfil (max. 2500 caracteres, incluindo espaços);

ii)            Curriculum Vitae detalhado destacando toda a formação académica superior, a produção científica;

iii)          Certificado de Habilitações;

iv)          Certificado grau/nível língua inglesa;

v)            Outros certificados de formação ou académicos relevantes.

Os graus académicos obtidos em países estrangeiros necessitam de registo por uma Instituição Portuguesa de acordo com o Decreto-lei nº. 66/2018, de 16 de agosto e a Portaria nº. 33/2019, de 25 de janeiro. A apresentação do certificado é mandatória para a assinatura do contrato. Mais informação poderá ser obtida em: https://www.dges.gov.pt/pt/pagina/reconhecimento?plid=374.

Falsas declarações fornecidas pelos candidatos serão punidas por lei.

8. As manifestações de interesse deverão ser encaminhadas entre 13 de outubro a 23 de novembro de 2020 através da página oficial do INEGI www.inegi.up.pt em Trabalhar no INEGI | Vagas Disponíveis premindo Enviar Candidatura CT RH Perfil G 27/2020 ou por correio:

INEGI – Instituto de Ciência e Inovação em Engenharia Mecânica e Engenharia Industrial

Serviços de Recursos Humanos

Rua Dr. Roberto Frias, 400

4200-465 Porto

Portugal

Os resultados do processo de seleção serão divulgados através do portal: http://www.inegi.pt  Após a publicação dos resultados, os candidatos têm 10 dias úteis para se pronunciarem.

9. Política de não discriminação e igualdade de acesso:

O INEGI promove uma politica de não descriminação e de igualdade de acesso, pelo que nenhum candidato(a) pode ser privilegiado(a), beneficiado(a), prejudicado(a) ou provado(a) de qualquer direito ou isento(a) de qualquer dever em razão, nomeadamente, de ascendência, idade, sexo, orientação sexual, estado civil, situação familiar, situação económica, instrução, origem ou condição social, património genético, capacidade de trabalho reduzida, deficiência, doença crónica, nacionalidade, origem étnica ou raça, território de origem, língua, religião, convicções políticas ou ideológicas e filiação sindical.

De acordo com o Decreto-Lei nº 29/2001, de 3 de fevereiro, os candidatos com deficiência devem ser preferidos numa situação de igual classificação, e essa preferência substitui quaisquer preferências legais. Os candidatos devem declarar, por sua honra, o respetivo grau de deficiência, o tipo de deficiência e os meios de comunicação / expressão a serem utilizados durante o processo de candidatura.



Candidate-se