Fale connosco
English

Solução criada pelo INEGI automatiza deteção de defeitos em componentes automóvel

28 fevereiro 2020

Os benefícios da automatização e digitalização de processos industriais são cada vez mais evidentes para as empresas, e os processos de controlo de qualidade não são exceção. Reconhecendo esta necessidade, a Zollern & Comandita Portugal desafiou o INEGI a otimizar a inspeção das pás de turbina (usadas nos turbocompressores dos automóveis) produzidas nesta fundição de precisão.

O resultado é um equipamento de inspeção visual automática que identifica defeitos de forma fiável, rápida e eficiente, e promete resultar numa poupança anual significativa para a empresa. A solução foi desenvolvida pelo INEGI em colaboração com a Zollern & Comandita Portugal, e já está a ser utilizada pela empresa.

Ricardo Cardoso, responsável pelo projeto no INEGI, conta que para responder a este desafio a equipa desenvolveu "um sistema de visão artificial que identifica e analisa as irregularidades, um sistema de controlo da máquina de deteção automática, e uma interface para interação com utilizador, neste caso, o operador responsável pelo controlo de qualidade”.

O objetivo é essencialmente garantir a fiabilidade dos resultados. Segundo os técnicos da Zollern & Comandita Portugal, os métodos não-automáticos, além de morosos, eram imprecisos e resultavam frequentemente na incorreta rejeição de peças, e consequente desperdício de recursos.

Procurando tornar o processo de controlo de qualidade ainda mais ágil, a equipa do INEGI aposta agora no aperfeiçoamento da solução e os próximos passos "passam desenvolver métodos de alimentação automática, ou seja, eliminar a necessidade de ter um operador dedicado a colocar as peças na máquina”, adianta Ricardo Cardoso.

Bruno Alves, em nome da Zollern & Comandita Portugal, salienta que "todo o trabalho de desenvolvimento realizado pelo INEGI permite-nos agora partir para uma solução mais automatizada e que não esteja dependente diretamente de operadores, o que vai permitir um potencial de ganho de 30.000 euros anuais".

A solução foi desenvolvida no âmbito do projeto MAGIC_4.0, uma copromoção entre a Zollern & Comandita Portugal e o INEGI. O projeto prevê, a par do desenvolvimento de um método de afinação de grão por correntes eletromagnéticas rotativas, a criação e introdução de tecnologias da indústria 4.0 no processo de fundição por cera perdida. O projeto é cofinanciado no âmbito dos programas Compete 2020 e Portugal 2020, e Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).