Fale connosco
English

Indústria 4.0: digitalização de processo de fabrico da Zollern & Comandita está a ser implementada pelo INEGI

05 novembro 2020
Digitalizar para melhorar a monitorização do processo de fabrico, com recurso a sensorização, instrumentação e até termografia, em linha com os pressupostos impostos pela 4ª revolução industrial. É este o novo desafio a que o INEGI está a responder juntamente com a Zollern & Comandita Portugal, uma empresa de fundição de precisão, que produz pás de turbina, usadas nos turbocompressores dos automóveis.

"Há uma necessidade crescente de aumentar a capacidade de controlo e visão dos fenómenos que ocorrem no processo de fusão atmosférica, particularmente as fases mais complexas de observar. Só assim é possível continuarmos a reduzir os defeitos e a sucata produzidos”, explica Bernardo Valente, responsável pelo projeto na Zollern & Comandita Portugal.

Para ir ao encontro da necessidade identificada pela empresa, o INEGI está a desenvolver um sistema automático de monitorização, em tempo real, do processo de fabrico de fundição por cera perdida, utilizando uma câmara termográfica, bem como o processamento e a análise de imagens captadas durante a fase de vazamento das moldações cerâmicas.

O recurso à termografia possibilita a obtenção e o tratamento de dados concretos e fundamentais sobre as temperaturas dos materiais utilizados nesta fase, contribuindo para a melhoria do processo.

"A recolha de dados, os sistemas anti-erro e o aumento da perceção dos fenómenos do processo de fusão, por natureza de difícil controlo, serão certamente enormes contributos para a mudança de práticas, redução da variabilidade do processo e redução de taxas de refugo”, salienta o responsável pelo projeto na Zollern & Comandita Portugal.

Este trabalho está a ser desenvolvido no âmbito do projeto MAGIC_4.0, uma copromoção entre a Zollern & Comandita Portugal e o INEGI. O projeto, cofinanciado no âmbito dos programas Compete 2020, Portugal 2020 e Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), prevê o desenvolvimento de um método de afinação de grão por correntes eletromagnéticas rotativas, e a criação e introdução de tecnologias da indústria 4.0 no processo de fundição por cera perdida.