Fale connosco
English

Compósitos Inteligentes: INEGI integra rede europeia para potenciar inovação integrada

03 novembro 2020
O INEGI é uma das instituições que integra a recém-criada EsSENce - High-performance Carbon-based composites with Smart properties for Advanced Sensing Applications, uma rede de colaboração científica que pretende fortalecer a cooperação, partilha de conhecimento e as capacidades tecnológicas entre entidades de I&DT que trabalham no desenvolvimento de materiais compósitos avançados e inteligentes.

Oficialmente criada no passado dia 21 de outubro, a iniciativa insere-se no âmbito das ações COST (European Cooperation in Science and Technology, ou Cooperação Europeia em Ciência e Tecnologia), que visam impulsionar avanços no desenvolvimento do conhecimento científico, contribuindo para o fortalecimento da Europa como líder em I&DT.

Este cluster vai ligar parceiros científicos, fornecedores de tecnologia e atores-chave da indústria de um total de 33 países, tendo como foco os materiais compósitos avançados reforçados com nanomateriais à base de carbono. A sinergia tomará a forma de contactos facilitados, mobilidade de investigadores e estudantes, workshops, conferências, e escolas de formação, entre outras ações.

O objetivo passa por potenciar a inovação no campo dos compósitos de elevado desempenho e com propriedades inteligentes, nomeadamente ao nível da autodeteção e autosensorização. A Dallara, empresa com que o INEGI já colaborou no desenvolvimento de componentes para automóveis em compósitos dotados de «inteligência», é um dos parceiros industriais neste cluster.

Nesta ação, o INEGI é representado por Raquel Santos, investigadora do Instituto e uma de dois portugueses que integram o comité de gestão desta COST Action. Mais concretamente, a investigadora irá liderar o grupo de trabalho dedicado à integração de novos nanomateriais e ao desenvolvimento de (nano)compósitos através de estratégias e metodologias de fabrico inovadoras.

De acordo com Raquel Santos "espera-se que esta rede resulte numa maior aproximação com entidades e empresas europeias, dando origem a um conjunto de novas oportunidades de inovação e transferência de conhecimento”.