Fale connosco
English

Colaboração entre Clínica do Dragão e INEGI resulta em modelo computacional para testar abordagens cirúrgicas

15 janeiro 2021
Um grupo de investigadores do INEGI, em colaboração com a equipa clínica da Clínica do Dragão – Espregueira-Mendes Sports Centre – FIFA Medical Centre of Excellence, desenvolveu um modelo computacional do joelho humano que vai ajudar a inovar no tratamento de lesões do ligamento cruzado anterior (LCA), uma lesão grave e comum em atletas de alta competição. 

A ferramenta foi criada para que os cirurgiões possam testar e customizar as abordagens cirúrgicas a serem realizadas nos pacientes, suportar e apoiar a tomada de decisão clínica e minimizar riscos e complicações. O modelo permite aos médicos estudar simulações do joelho e diversas combinações de movimentos, com mais detalhe anatómico e acuidade funcional do que o reportado na literatura científica.

É mais um exemplo de como a biomecânica computacional pode acrescentar valor ao setor da saúde e desporto. Carla Santos, investigadora do INEGI responsável pelo desenvolvimento da ferramenta, conta que a equipa tem vindo a "aplicar o método dos elementos finitos com sucesso para desenvolver simulações de vários problemas clínicos, nomeadamente aqueles relacionados com a biomecânica. Este método permite desenvolver modelos tridimensionais de estruturas anatómicas baseados em imagens médicas, e assim contribuir para o planeamento e teste de tratamentos e cirurgias”.

João Espregueira-Mendes, diretor clínico da Clínica do Dragão, sublinha "a importância das sinergias e da investigação interdisciplinar na ferramenta desenvolvida para simular mecanismos de lesão, para o planeamento cirúrgico e o potencial que tem para a redução de recidivas.” Afirma ainda que "a colaboração do INEGI acrescenta um conjunto de conhecimentos e competências singular e importante para evoluir na investigação em ortopedia e traumatologia”. 

O modelo computacional ajuda também profissionais de saúde a entender melhor os movimentos que tipicamente originam a rotura do LCA, contribuindo assim para otimizar os programas de prevenção. A ferramenta pode ainda fazer a diferença no tratamento destas lesões com fitas cirúrgicas (InternalBrace), permitindo aos ortopedistas testar a aplicação em diferentes locais e avaliar o resultado no simulador.

A rotura do LCA é uma lesão grave na articulação do joelho que envolve um longo período de recuperação, sendo mais comum em jovens adultos ativos, particularmente em atletas de alta competição. 

Melhorar o tratamento desta lesão, como explica Carla Santos, pode traduzir-se no "aumento da longevidade saudável do joelho, o que terá um impacto na qualidade de vida dos indivíduos, bem como da prática de atividades e desportos em maior segurança, o que em última instância terá um impacto socioeconómico benéfico”.