Monitorização das infraestruturas aeroportuárias da Madeira com engenharia do INEGI

10-03-2020
Aumentar a eficácia das operações de manutenção das infraestruturas aeroportuárias, e implementar novos métodos de controlo recorrendo à análise preditiva. Tudo graças a uma área da engenharia chamada monitorização estrutural. É este o desafio a que o projeto MEGE – Monitorização Estrutural de Grandes Estruturas, desenvolvido pela ANA – Aeroportos de Portugal, com a colaboração do INEGI e do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), pretende dar resposta.

A ser implementado no aeroporto da Madeira, o projeto, que arrancou no primeiro trimestre de 2019, terá a duração de dois anos e prevê o desenvolvimento de dois sistemas independentes para monitorização. Um vai ser dedicado à monitorização de deformações das vigas de suporte da pista de aterragem; o outro vai focar-se no estado do quebra-mar de berma de proteção à infraestrutura, que é frequentemente sujeito a erosão, devido à forte agitação marítima.

Além de equipamentos específicos, estes sistemas vão exigir o desenvolvimento de algoritmos computacionais de processamento de dados, bem como testes de validação e implementação. “Vamos desenvolver soluções tecnológicas de levantamento e comparação de forma 3D para monitorizar o estado físico do quebra-mar, sujeito a erosão ou desmoronamento provocados pela ação do mar, bem como de medição e monitorização de deformações das vigas da superestrutura, recorrendo a uma tecnologia ótica denominada correlação digital de imagem”, explica Paulo Tavares, responsável pelo projeto no INEGI.

O projeto MEGE – Monitorização Estrutural de Grandes está integrado no Programa Operacional Madeira 14-20, no âmbito do PROCiência 2020, Sistema de Incentivos à Produção de Conhecimento Científico e Tecnológico da Região Autónoma da Madeira. Este incentivo pretende reforçar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a promoção da inovação nas empresas da Região Autónoma da Madeira.

INEGI
Universidade do Porto
CONTACTOS E LOCALIZAÇÃO
Linkedin Facebook Youtube Twitter
© INEGI 2011 | Política de Privacidade