Estudo sobre o aproveitamento da energia das ondas em quebra-mares portuários apresentado a 12 de junho

07-06-2019
O projeto SE@PORTS - Sustainable Energy at Sea Ports (em português, Energia Sustentável em Portos Marítimos) nasceu em 2017, com o objetivo de avaliar o potencial de aproveitamento de energia das ondas em quebra-mares portuários. No próximo dia 12 de junho, no Auditório Infante D. Henrique da Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL), em Matosinhos, a partir das 10h, são apresentados os resultados deste estudo, que foi coordenado pelo INEGI. Inscrições disponíveis AQUI.

A par da apresentação de resultados do projeto, o evento vai contar com um conjunto de peritos internacionais, que vão partilhar a sua experiência neste tipo de tecnologias. Também está prevista a presença de Ana Paula Vitorino, Ministra do Mar do Governo Português.

Clique AQUI para conhecer o programa do evento.

APROVEITAR O POTENCIAL DA ENERGIA DAS ONDAS

Este projeto nasceu da vontade de criar sinergias entre os setores das energias renováveis e o portuário, aproveitando a energia das ondas, como fonte renovável.

O efeito do vento na superfície do oceano impulsiona as ondas, cuja energia pode ser transformada em energia elétrica. No entanto, Tiago Morais, investigador do INEGI responsável pelo projeto, explica que não é aproveitada em larga escala porque "a tecnologia existente tem custos de investimento e operação demasiado elevados, em comparação com outras formas de aproveitamento de energia renovável, para que o seu uso seja considerado competitivo, numa perspetiva económica".

Para mitigar este problema, o consórcio concebeu e desenvolveu um sistema híbrido, que conjuga tecnologias já existentes de conversão de energia das ondas (WEC), para ser integrado em quebra-mares portuários.

“O design das soluções concebidas foi pensado para reduzir custos de construção, instalação e manutenção, garantir níveis altos de eficiência e integridade estrutural, em condições extremas de operação”, afirma Tiago Morais. "Ao incorporar as vantagens de cada WEC, e eliminando as suas limitações intrínsecas,pretende-se aumentar a eficiência global do sistema".

"Este tipo de tecnologia é vantajosa para os portos, pois permite que seja integrada em quebra-mares portuários promovendo a dissipação da energia das ondas, dar resposta ao grande consumo energético decorrente da sua operação de forma sustentável, bem como reduzir as emissões de carbono", acrescenta. O projeto contemplou dois casos de estudo - o Porto de Leixões, em Portugal, e o Porto de Las Palmas, em Espanha.

A geração do conceito hibrido, o desenvolvimento de modelos numéricos para caracterizar o comportamento dos diversos sistemas, e o fabrico de modelos em escala reduzida para testes em tanque de ondas, bem como o estudo e adaptação da metodologia Lean Design-for-X foram da responsabilidade do INEGI.

O SE@PORTS foi desenvolvido por um consórcio liderado pelo INEGI, com a participação do Fórum Oceano, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, instituto IHCantabria, PLOCAN (Plataforma Oceânica das Ilhas Canárias) e IMDC (International Marine & Dredging Consultants).

O projeto foi financiado pela OCEANERA-NET, Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), Agentschap Innoveren & Ondernemen, Agencia Canaria de Investigacíon, Innovación y Sociedad de la Indormación, e Sodercan.

INEGI
Universidade do Porto
CONTACTOS E LOCALIZAÇÃO
Linkedin Facebook Youtube Twitter
© INEGI 2011 | Política de Privacidade